Leci Brandão e Tereza – 1981

Leci Brandão e Tereza

lecietherezaLeci Brandão e Thereza Tinoco na Série Seis e Meia realizado em 1981 na Sala Funarte Sidney Miller (RJ)As duas cantoras estavam despontando no início dos anos 80, tendo em comum o amor à música brasileira e ao samba. Leci Brandão foi a primeira mulher a integrar a Ala de Compositores da Mangueira em 1972 e a estrear no mercado fonográfico em 1975. Thereza Tinoco, por sua vez, já havia sido descoberta por Simone, que gravou Desgosto, antes de lançar seu primeiro disco Sempre me Acontece.Leia o texto do diretor do show, Otoniel Serra, sobre as duas artistas. Confira mais à frente o roteiro e ouça à esquerda as músicas do show, realizado entre 14 e 25 de abril de 1981 na Sala Funarte Sidney Miller.

Apresentação de Otoniel Serra:

Leci Brandão:

Era uma vez uma moça pobre do subúrbio que queria ser alguém… Felizmente não apareceu nenhum príncipe encantado, nenhuma fada madrinha, nada. Só muito esforço, muito trabalho e muito talento. Com o reconhecimento de alguns, para o desconforto de outros. Mas Leci Brandão soube aproveitar a dor: aprendeu a conhecer e a respeitar as pessoas.

Experimentou todo tipo de emoção, de intuição. Se entregou sem reservas, sem medos.

Com a simplicidade de uma operária (porque já o foi), e com o brilho de uma grande estrela (porque já o é), Leci percorreu seu caminho e chegou por merecimento. Tudo foi conquistado palmo a palmo. Sua fé em si mesma e a sua simplicidade chegam a nos servir de exemplo. Sem falsos estrelismos.

Neste show Leci se apresenta inteira, sem rótulos, cantando o que sente e o que gosta, sem preconceitos.

Thereza Tinoco:

Era uma vez uma moça bem nascida que queria ser alguém… Com todas as condições possíveis, Thereza Tinoco trilhou o caminho inquieto de quem não aceita o que lhe impõem.

A excelente compositora que é, nasceu justamente da consequência do inverso, ou seja, do grito maior da sua sensibilidade em protesto a toda uma estrutura preestabelecida.

Suas inquietações, seus conflitos, foram necessários para a construção de um universo todo seu.

Não mais à margem, Thereza existe dentro da intimidade do seu mundo, fazendo exatamente o que quer e o que gosta: cantar, compor e conviver com as pessoas com quem se sente bem.

Sua real personalidade está exposta neste show com muita garra e muita luz.

Roteiro:

Essa Tal Criatura (Leci Brandão)
Dança Doce (Leci Brandão)
Corra e Olhe o Céu (Cartola e Dalmo Castello)
Natureza (Leci Brandão/Rosinha de Valença)
Por Causa de Você (Tom Jobim e Dolores Duran)
Ombro Amigo (Leci Brandão)
Impossível (Thereza Tinoco)
Paralelamente (Thereza Tinoco)
Trocando em Miúdos (Chico Buarque e Francis Hime)
Sonhos e Fantasias (Fátima Regina e Paulo Cesar de Resende)
Sou um Grande Amor (Leci Brandão e Zé Maurício)
Margot (Zé Maurício e Antonio Claudio)
Vá Embora (Sergio Bandeira)
Resposta (Maysa)
Coisas Veladas (Thereza Tinoco)
Artistas (Thereza Tinoco)
Unia Carta Para a Paz (Leci Brandão)
Tataruê (Geovana)
O Viajante (Thereza Tinoco)
Não Há Cabeça (Angela Rô Rô)
Vinte e Duas Horas (Leci Brandão)
Jura Secreta (Sueli Costa e Abel Silva)
Músicos:

Zé Maurício (contrabaixo), Clarice Kamliot (teclados), Ronaldo Medeiros (sax/flauta), Paulinho Cavalcante (vioilão/guitarra), Silvinho Costa (bateria), Agenor Mendes (percussão), Almir de Moura (surdo).

Ficha Técnica:

Direção/Roteiro: Otoniel Serra

Iluminação: Otoniel Serra/Ubirajara Vasconcelos Silva

Assistente de direção: Athenodoro Ribeiro

Direção musical/Arranjos: Zé Maurício

Operador de luz: Ubirajara Vasconcelos Silva

Operador da som: Paulinho Rezende

Contrarregra: Ivannides de Carvalho

Figurinos: Hélio Braga

Maquilagem: Guilherme Pereira

Fotos: José Augusto Reis

Fonte: Funarte

Deixar uma resposta